A História do Hotel Bühler

Memórias Bühler

Christoph e Anne Marie Bühler, provenientes Stuttgart na Alemanha, vieram com seus três filhos para o Núcleo Mauá numa mesma leva alemães chegados em 1913, como os Frech e os Büttner, ainda com o patrocínio do Governo brasileiro. Receberam uma parcela de terra de 13 hectares, nesta área que era denominada na época como Taquaral – atual Maringá – Minas Gerais.

A família Bühler conseguiu com muita fibra, vencer as dificuldades. Ficaram de 1913 a 1922 plantando para comer e fazendo telhas e tijolos para suas construções. A pequena agricultura tentada por estes colonos foi insuficiente para mantê-los. As dificuldades eram tantas que muitas vezes o pinhão – semente da araucária – era a principal alimentação da família.

Em 1922 a Escola Alemã do Rio de Janeiro mandou os primeiro hóspedes, que foram recebidos em sua casa mesmo. Eles ficavam de dois a três meses em Mauá. Para oferecer seus quartos aos hóspedes a família dormia no Paiol.

Em 1937, a criação do Parque Nacional do Itatiaia, o parque nacional mais antigo do Brasil, representou um grande impulso ao turismo em Mauá já que em seu decreto de criação previa-se que as terras nas proximidades do parque fossem reservadas à instalação de hotéis e infraestrutura necessária à movimentação de turistas na região.

O Hotel Bühler gerido pela família de forma artesanal e com recursos escassos, foi se desenvolvendo gradualmente para atender a demanda da Região. Os turistas vinham sempre nas férias. Eram, em geral, estrangeiros que moravam no Brasil e desejavam sair da cidade para ter aventuras no campo e também fugir do calor do Rio de Janeiro. Quando chegavam as férias escolares as famílias vinham para ficar de dois a três meses em Mauá

Hospitaleiros, a Família Bühler além de cuidar de seu hóspedes dispondo de todos os poucos recursos que possuíam, promovia a beleza da região, a comida alemã, os passeios e caminhadas pelas montanhas.

Já no início dos anos 70 quando o mundo vivia o auge do movimento hippie, Visconde de Mauá, com suas cachoeiras e natureza exuberante, atraiu os hippies que vieram viver em comunidades pregando seus ideais de paz e amor. Foi este o momento em que Mauá começou a se tornar conhecida para os brasileiros. Começaram então a surgir mais turistas buscando locais para se hospedar. Para atender a demanda, Helena decidiu abrir um camping. Único da região, o camping estava sempre cheio, contando com mais de 200 barracas. Hoje os hóspedes que acamparam a 20 anos, 40 anos atrás vem se hospedar no hotel com seus filhos, netos e bisnetos.

A partir dos anos de 1980, Visconde de Mauá se firmou como região turística, aprimorando sua infra-estrutura e se tornando um dos pólos mais visitados do Estado do Rio de Janeiro. Nesse momento, Helena convidou sua filha Norma para assumir a gestão do hotel. Aos poucos o Hotel Bühler foi se expandindo, reformando e construindo seus chalés. Tudo era idealizado diretamente pela família que participava das decisões, desde o paisagismo, as obras, decoração e projetos desenvolvidos.

Sempre conectado com a natureza e visando respeitá-la e preservá-la o Hotel Bühler, sob gestão de Norma Bühler, desenvolveu o Projeto “Lixo Mínimo”. Através da separação dos resíduos sólidos e encaminhamento destes para as cooperativas da região; pela compostagem de resíduos orgânicos; tratamento natural de 100% do esgoto gerado; e armazenamento ou preenchimento de tijolos com materiais que não podem ser reciclados ou compostados o Hotel orgulha-se de produzir quase 0% de lixo. Graças a esse projeto o hotel ganhou diversos prêmios de sustentabilidade e Dona Norma se tornou muito conhecida no setor de hotelaria, transformando o Hotel Bühler em referência em Hospedagem Sustentável.

Saiba mais sobre a nossa história

A gente leva a nossa História tão a sério que construímos um Espaço de Memórias onde você pode conhecer cada detalhe. Entre para saber mais ou dê um passeio aqui no Hotel Bühler que teremos todo prazer em contar para você tintim por tintim.

Espaço de Memórias Bühler